domingo, 8 de novembro de 2009

Entrevista do Boyce Avenue Para o Site 'The Vanguard'


Dia 26 de outubro, durante o show no Hard Rock Cafe em Boston, o BA deu uma entrevista muiiito bacana para o site The Vanguard, com perguntas e respostas diferentes de tudo que já vimos por ai!
Aproveitem e conheçam mais sobre os irmãos Manzano!
____________________________________________________


Um Encontro Com o Trio de Irmãos, a Banda de Rock Boyce Avenue
Postado em 05 de Novembro de 2009
Escrito por: Sindhu Palaniappan

A banda de rock da Flórida, Boyce Avenue, tocou um intimista e sincero show acústico no Hard Rock Café, em Boston, no dia 26 de outubro, e eu tive a chance de me sentar com eles, antes do show, e fazer-lhes algumas perguntas.

SP: Vocês três são irmãos, quanto tempo vocês compartilham o sonho de se tornar uma banda? Vocês vem de uma família de músicos?

A banda começou a se unir seriamente em 2005 ou 2006, mas a música sempre foi um ponto de encontro entre nós, uma ligação e, assim, tornou-se nossa carreira. E sim para a questão da família de músicos, nosso avô costumava tocar guitarra clássica nos feriados, a nossa mãe costumava cantar para se divertir, ela tem uma voz bonita, e nosso tio estudou música, por isso crescemos em torno disso.

SP: Como o YouTube afetou/ajudou a consagrar a fama de vocês no mundo da música?

O YouTube consagrou nossa banda (risos de todos os três). Apesar de usarmos Facebook, MySpace e Twitter, YouTube é onde estabelecemos o nosso nome e tem tudo para os nossos fãs. Nós "percorremos o mundo através do YouTube", e foi o que "nos colocou no mapa." Abraçamos a "cultura do Youtube”, encontrando fãs e saindo de lá para tocar, a gente só fazia isso tempos atrás, fazendo as pessoas nos assistir primeiro, e depois sair e fazer shows para elas.

SP: O que inspirou vocês a fazerem um show de caridade e, especificamente, porque "Pinktober" (Conscientização do Câncer de Mama)?

Bem, nós estávamos procurando fazer alguma coisa para a América depois da nossa turnê na Europa, e a oportunidade de fazer algo para a conscientização do câncer da mama era atraente. Queríamos retribuir à comunidade, e isso parecia ser uma boa forma, é uma grande campanha. Shows realmente íntimos são agradáveis, e uma mudança refrescante dos shows lotados que fizemos na Europa.

SP: Como foi a turnê na Europa no mês passado?

Uma palavra: "Fantástico." Na maior parte do tempo, parecia que não havia nenhuma barreira da língua, talvez porque a música é uma linguagem universal? [Os fãs] sabiam todas as letras, na Alemanha, na França, em todo o lugar. Apesar de ter ficado doente na estrada por um breve período, a experiência foi ótima.

SP:  Eu notei que os covers que vocês fazem "(Umbrella da Rihanna", "Bleeding Love" da Leona Lewis), não necessariamente acompanham o mesmo estilo que as músicas originais, alguma razão especial para vocês gostarem de abranger e fazer covers dessas músicas?

Essas músicas são mais divertidas e desafiadoras para tocá-las “acusticamente”. Também é divertido tocar as músicas do momento, as canções que todos conhecem. E isso é simplesmente legal.

SP: Qual é a sua música original e cover favorito e por quê?

Alejandro: Minha música original favorita para tocar é "On My Way." Meu cover favorito é "Love Stone"

Daniel: A minha original favorita é "Brianne," por razões emocionais, e " When the Lights Die", por causa da energia. Meu cover favorito é "Because of You".

Fabian: Meu cover favorito é do Coldplay, “Viva La Vida".

SP: Quais bandas vocês ouvem e encontram inspiração?

Alejandro: Goo Goo Dolls, John Mayer.

Daniel: Goo Goo Dolls, Train.

Fabian: Coldplay, Oasis.

SP: Qual é a coisa mais engraçada que aconteceu durante um show ou uma turnê?

Alejandro: Na nossa primeira noite em Munique, eu estava bebendo água da garrafa no palco e eu já tinha dito ao público que estava doente, e algumas meninas na frente ficava pedindo pela garrafa de água, e eu repetia que estava doente e elas disseram que elas sabiam disso. Elas queriam a minha doença ... foi muito estranho.

Daniel: Nós estávamos nas Filipinas, e fomos para lá aleatoriamente, mas por algum motivo temos um grande número de fãs por lá, nas Filipinas... havia algumas meninas loucas que queriam alguma coisa do palco, por isso jogamos uma toalha de suor. Um segurança teve que cortar a toalha em pedaços para as meninas pararem de lutar por ela.

Fabian: Quando nossa van quebrou e tivemos que ir para o nosso show em Houston na cabine de um caminhão guincho, porque estávamos atrasados. E em outra vez acabou o freio em uma descida, provavelmente a 72 km/h, e todos nós estávamos apenas nos agarrando a um fio de esperança, torcendo que nada aparecesse entre nós e o fim da colina.

SP: O que cada um de vocês queriam ser quando eram mais jovens (se a resposta não for músicos)?

Alejandro: por um tempo queria ser jogador de futebol, mas eu queria ser músico na maior parte do tempo.

Daniel: Um astronauta, eu estudei para ser um pediatra por um tempo, mas depois de ver quarenta crianças por dia com os mesmos sintomas de gripe, mudei de idéia. Eu também me formei em Inglês e sou formado em Direito. Boas coisas, mas a música boa que funcionou .

Fabian: (risos) Eu tenho muitas coisas a dizer... ninja, domador de leões, queria construir montanhas-russas por um tempo, eu passei por fases, um mágico, um pop-star, um jogador da NBA ... me formei em arquitetura .

SP: Qual é a coisa mais gratificante de ser um músico?

Alejandro: O estúdio, a sensação de um show ao vivo, viajar, passar uma mensagem às pessoas, e compartilhar o que você quer dizer com todos.

Daniel: Desculpe isso é bem genérico, mas é a ligação com o público. Ser capaz de trabalhar tão duro em algo e então perceber que realmente importa para as outras pessoas, ver alguém dançando ou cantando, ou chorando com uma canção que golpeou eles apenas com um acorde. Quero dizer, eu não sou um cara com um milhão de amigos, sendo assim, essa ligação é muito importante.

Fabian: Eu amo o lado artístico e criativo de ser um músico. Acho que dentre nós três, eu tenho a maior proximidade com artes plásticas, de modo que esta me dá mais uma forma de liberar o meu lado artístico. Eu também adoro o processo de produção de uma canção.
____________________________________________________

Fonte, clique aqui.

Mariana Colombo.

Share/Bookmark

4 comentários:

  1. Caraaamba! Adorei ! *----*'

    Dos três, as respostas mais legais foram as do Daniel :D
    Mas todos eles me parecem bastante simpáticos, não só pq gosto da banda, mas pelas fotos, por essa entrevista.. Tem algumas bandas q tem gente antipática msm que as musicas sejam legais :S

    Enfim, adorei :D Acompanho esse blog há pouco tempo mas tem muuuita coisa interessante :D Parabéns, meninas ^^

    ResponderExcluir
  2. Muito bacana. Se bem que ficou uma pequena má-impressão do Alejandro... =/

    ResponderExcluir
  3. Eles são d+! .... Parabéns

    ResponderExcluir
  4. Eles são de mais
    Difícil não amar
    Esses lindos

    ResponderExcluir

Por favor, sejam educados nos comentários. É tudo que pedimos. Obrigada.